o destino é arteiro

enquanto olhamos para a direita, o amor da nossa vida pode estar passando pela esquerda — quantos encontros já passaram despercebidos em sua vida?

Como é por dentro outra pessoa

FIRST THINGS FIRST

Como é por dentro outra pessoa
Quem é que o saberá sonhar?
A alma de outrem é outro universo
Com que não há comunicação possível,
Com que não há verdadeiro entendimento.

Nada sabemos da alma
Senão da nossa;
As dos outros são olhares,
São gestos, são palavras,
Com a suposição de qualquer semelhança
No fundo.

Nascido em Lisboa, Fernando Pessoa (1888-1935) foi um dos poetas mais importantes da língua portuguesa. Criando heterônimos — poetas com personalidades próprias —, o autor buscou detectar, sob vários ângulos, os dramas do homem de seu tempo.

  • No poema acima, Pessoa escancara uma verdade atemporal, mas muitas vezes esquecida: a alma de outrem é outro universo.

Ao conhecermos alguém, temos a tendência a fazer diversas suposições sobre o universo que é aquela pessoa, mas a verdade é que cada um guarda diversos traumas, experiências, sonhos e receios que vão muito além do que conseguimos enxergar.

Refletindo sobre a delícia de se aventurar pelo desconhecido, fica quase impossível não pensar na quantidade de mundos interessantes que já passaram despercebidos pelo nosso caminho.

  • Quantos universos atravessam a mesma rua que a gente, vão comprar pão na mesma padaria e escolhem a mesma baladinha para ir no sábado à noite?

Ainda iremos cruzar com muitas pessoas nesta vida, e a maioria não teremos nem tempo de olhar — ou olharemos e julgaremos errado, por não termos acesso ao todo.

Enfim… nossa sugestão é que você tente conhecer profundamente pelo menos o seu próprio mundo — e quem sabe assim, ganhar coragem e sabedoria para se aventurar por universos alheios.

BASEADO EM UMA HISTÓRIA REAL

Amar é para quem pode

Poderíamos dizer que Tainá e Marcos se conheceram em um pôr do sol na praia — ou em uma paisagem romântica qualquer —, mas isso não seria fiel aos fatos.

A primeira vez que se viram foi em um 10 de abril chuvoso, em um cenário perfeito para comédias românticas: uma baladinha alternativa, cheia de meninas de botinha cano médio em uma pista subterrânea onde suavam como se estivessem dentro de uma sauna — mas não é assim que muitos casais se apaixonam nos filmes?

Ela quase foi embora, mas deu de cara com ele. Sorriu. Ela de um lado, ele no outro extremo até altas horas da madrugada. O flerte demorou, mas aconteceu. Beijaram-se no final da noite e até trocaram telefone.

  • Marcos não mandou mensagem, mas o destino é arteiro e — como boa jornalista — Tainá descobriu exatamente onde ele estaria na próxima sexta-feira.

Esbarraram-se “sem querer”, beijaram-se porque queriam — a baladinha alternativa parecia muito mais romântica do que qualquer pôr do sol na praia.

Foram ao cinema, ao bar perto de casa e a outras festinhas da moda. Ficavam na dúvida ao escolher o restaurante do final de semana, mas a companhia um do outro permanecia sendo certeza.

Até que um dia… Marcos parecia não ter certeza mais. Foram em um dos restaurantes bacanas da cidade e o fim do relacionamento chegou junto com a conta.

  • O início do término não foi fácil, mas bastou uma dose de coragem — e alguns drinks — para que a vida de solteiro de ambos começasse a ter graça.

Viajaram, cresceram profissionalmente, cometeram muitos erros — e alguns acertos —, mas abriram os olhos para as infinitas possibilidades que esse mundo nos reserva.

Algumas aventuras depois… acabaram se reencontrando. Por obra do acaso — ou faro jornalístico — eles foram parar na mesma festa. Esbarraram-se por querer mas dessa vez não se beijaram.

Tainá estava acompanhada e Marcos não tinha o direito de sentir saudademas desde quando você precisa ter o direito de sentir para efetivamente sentir alguma coisa?

Combinaram de jantar na semana seguinte.

  • Os meses separados mostraram que existem muitas pessoas interessantes no mundo. Os minutos na mesa de jantar o fizeram lembrar que ninguém era mais interessante que ela.

Casaram-se logo em seguida.

Ainda frequentam festas esquisitas, restaurantes bacanas e costumam assistir aos filmes em casa, na companhia de Nelson Rodrigues — um buldogue inglês cheio de vontades.

De resto, agradecem e deixam estar. O destino é arteiro, tem pacto com os amantes, dá lição e a gente aprende: basta um esbarrão para o milagre acontecer. Amar é para quem pode.

Sunday Thoughts 💭

EDITOR'S PICK

Para muitos, domingo é dia de descanso. Mas que tal usar esse tempo livre para curtir um conteúdo de qualidade? Deixe o WhatsApp de lado e siga nossas dicas… você não vai se arrepender. 😉

  1. Gostou do poema escolhido para o #MomentoCult? Clique para ler algumas obras de Fernando Pessoa analisadas e comentadas — nem todas são de amor, mas com certeza te farão sentir (seja lá o que for). 📝

  2. Como conhecer pessoas interessantes? Será que a gente precisa mudar de continente para conhecer pessoas novas? Clique e assista ao TED de quem foi parar na África para responder essa pergunta. 🌍

  3. E por falar em saudade… A gente já sabe que vocês adoram as nossas playlists mas essa ficou especial. Escute e envie para a primeira pessoa que vem na sua cabeça quando o assunto é saudade. 🎶❤️‍🩹

  4. Se você está procurando um filme comovente e otimista para inspirar seu domingo, indicamos Finch, mais novo lançamento da Apple TV estrelado por Tom Hanks. Faça uma pipoca e chame toda a família para assistir. 🎞️🍿

  5. Você já escutou a regravação do álbum Red da Taylor Swift? A versão nova e o curta-metragem de All Too Well — que retrata o antigo relacionamento da cantora com Jake Gyllenhaal — está dando o que falar. Assista e tire suas próprias conclusões. 👀🎶

Por fim… Se está gostando de receber nossas histórias de amor todo domingo, que tal clicar no botão abaixo e compartilhar com uma pessoa especial? ❤️

clique para compartilhar

A próxima pode ser a sua 💌

FINAL NOTES

Gostou da história que leu? A próxima pode ser a sua. Conte pra gente aquela história de amor que só você sabe e tem dentro de si. Afinal, todo mundo tem a sua.

Envie para: love@thenewscc.com.br

Queremos compartilhar, pelo menos um pouquinho, desse sentimento que você tem aí dentro. Você nunca sabe o que ele pode provocar nas pessoas…

the stories.cc  🧸

Nem sempre com finais felizes, mas sempre verdadeiras. Histórias de quem realmente sentiu algo sincero diretamente entregues na sua caixa de entrada.

A cada história uma emoção. Sempre aos domingos de manhã, às 08:08.