o olhar não mente

antes de julgar alguém, experimente escutar seu lado da história — o lobo sempre será mau se você ouvir apenas a versão da chapeuzinho vermelho.

Traiu ou não traiu?

FIRST THINGS FIRST

Machado de Assis (1839-1908) é indiscutivelmente um dos escritores mais importantes da literatura brasileira. Precursor do realismo — movimento artístico marcado pelo olhar crítico para a sociedade —, Machado tinha um incrível talento para analisar o comportamento humano.

Um de seus livros mais famosos — e queridinho por todas as professoras de ensino médio do Brasil — chama-se "Dom Casmurro". A obra é narrada por Bentinho, que acredita ter sido traído por sua esposa Capitu e seu melhor amigo Escobar.

Diversos estudiosos já tentaram criar teorias sobre a ocorrência ou não da traição, mas nenhum deles consegue chegar em uma conclusão plausível por um simples motivo: só temos a versão de Bentinho.

Os personagens e acontecimentos são conhecidos através de uma perspectiva contaminada pelo ciúme do narrador, que enxerga o caráter traíra de Capitu nos seus "olhos de cigana oblíqua e dissimulada" — como mostrado na imagem acima.

  • Por não ter provas concretas da traição, Bentinho usa esse olhar para construir toda a sua teoria, mas como bem dizia Shakespeare, detalhes insignificantes apresentam-se aos enciumados sob a forma de confirmações sagradas.

Enfim... Se você ainda não leu o livro — ou só pegou o resumo pra passar na prova — vá fundo e tire suas próprias conclusões. Mas não se esqueça: para fazer um julgamento justo, nosso amigo Machado deveria ter nos contado a versão da Capitu.

BASEADO EM UMA HISTÓRIA REAL

A presença da ausência

O dia de Eduardo amanheceu triste. Na noite anterior, recebeu a notícia do falecimento de seu bom e velho amigo Alberto. O céu daquele dia combinava com a vida sem aquela amizade: vazio e sem cor

Enquanto esperava o táxi que o levaria para o velório, Eduardo foi dar comida para Bruce — seu simpático bulldog — mas nem nos olhos do cachorrinho encontrou consolo. Seria um dia difícil.

Quando entrou no carro e falou o destino, o motorista disse que sentia muito e perguntou quem havia falecido. Eduardo constatou que Alberto merecia uma descrição mais precisa do que “um amigo”, então logo começou a contar...

Há 45 anos... Eduardo morava em uma casa de dois cômodos na roça. Filho mais velho de uma família muito humilde, aos 15 anos, mudou-se para a cidade com o sonho de trabalhar, estudar e ajudar seus irmãos.

Conseguiu emprego em uma loja de calçados — a única da cidade — e passou a atender Alberto, sua esposa e seus dois filhos ainda pequenos.

Entre caixas de sapatos e comentários sobre o jogo do Flamengo, nasceu uma simpatia mútua, e Alberto sempre fez questão de ser atendido por aquele jovem tímido de olhar sonhador.

Em uma sexta-feira qualquer, a família chegou na sapataria e não encontrou Eduardo. O dono da loja disse que não sabia onde ele estava e contou que o garoto morava sozinho. Preocupado, Alberto pediu seu endereço e foi às pressas verificar se estava tudo bem.

Chegando lá… Encontrou Eduardo em um cômodo de chão batido, sozinho e ardendo em febre. Levou o jovem para o médico e, quando ele teve alta, não voltou para a solidão de seu cômodo: Alberto o convidou para morar com ele.

  • Enquanto se recuperava, os dois conversavam sobre política, futebol e faziam planos para o futuro de Eduardo. Quando já estava forte e pronto para voltar para casa, Alberto disse: você só sai daqui depois de completar seus estudos.

E assim foi. Eduardo continuou trabalhando na loja durante o dia e estudando à noite, sempre observando e aprendendo com o jeito de seu amigo: bom pai e marido, de hábitos simples e econômico nas palavras, mas com o olhar mais expressivo e generoso que ele já se deparou na vida.

Alguns anos depois... Eduardo formou-se em Direito. Passou no concurso de juiz logo que saiu da faculdade e voltou ao interior para ajudar seus irmãos que haviam ficado para trás — hoje, o mais velho é médico e a caçula é professora de matemática.

Eduardo e Alberto nunca perderam contato. Continuaram se encontrando, assistindo aos jogos do Flamengo e amenizando as tristezas com muito vinho e boas conversas.

Alberto não se acanhava em continuar puxando a orelha de Eduardo e este continuava se espelhando e aprendendo com o amigo que o acolhera como filho.

Voltando do velório... Eduardo chegou em casa e deparou-se com Bruce, abanando o rabo e pedindo comida. Olhou para o bulldog e dessa vez encontrou consolo: o olhar do cachorrinho lembrava a pureza dos olhos de seu amigo.

Alberto foi embora, mas Eduardo sabia que a sua ausência estaria sempre presente em sua vida — bastava reparar.

Como você tem feito do mundo um lugar melhor?

PATROCINADO POR GOOD DONOR

Você já deve ter pensado: “Queria ajudar alguma instituição, mas não sei qual, muito menos como…”

Como funciona? A Good Donor é um marketplace para causas sociais. Eles selecionam instituições sem fins lucrativos e agrupam-nas por causa, como “combate à violência contra a mulher” ou “amparo para crianças com câncer”.

Tudo o que você precisa fazer é escolher uma causa para ajudar mensalmente, com o valor mínimo de R$ 10,00, que será dividido entre as instituições apoiadas na causa.

Tem prestação de contas? Claro. Todo primeiro dia do mês, a Good Donor envia um relatório com os resultados alcançados e as atualizações das organizações!

Melhoramos o mundo espalhando amor. Doar é uma das maiores formas de fazer isso e com a Good Donor, ajudar o próximo ficou muito mais fácil. Clique aqui, escolha sua causa e faça a sua parte!

Sunday Dreams 💭

EDITOR'S PICK

Domingos foram feitos para tomar um bom café, escutar uma boa música e ficar de preguiça com quem a gente ama. Escolha a companhia certa e siga nossas dicas — você não vai se arrepender. 💛

  1. Que tal começar o dia com um café da manhã saudável? Clique aqui e aprenda a fazer um pão de frigideira low carb — não é todo domingo que a gente precisa chutar o balde né? risos. 👩‍🍳

  2. Qual o poder de ser você mesmo? Neste vídeo, Camila Coutinho explica porque o autoconhecimento é importante para ganhar confiança e autoestima. 🙇‍♀️

  3. Para se inspirar na #girlboss interpretada por Anne Hateway ou se apaixonar por Robert De Niro na pele do vovô estagiário mais fofo que o cinema já viu, vale a pena ver — ou rever — O Estagiário (disponível na Netflix). 🎥🍿

  4. Como não podemos te deixar de fora dos melhores lançamentos da semana, pare um minutinho do seu dia e escute a música Last Train Home, novo sucesso de John Mayer. 👂🎶

  5. Você gosta de histórias de suspense? Se a resposta for positiva, temos certeza que Agatha Christie vai te conquistar. Conhecida como a Dama do Crime, a escritora é referência para todos que se aventuram no gênero. Aproveite a oferta e já garanta o Box com 3 exemplares da autora. 📚

  6. Quer aparecer no nosso Instagram? Mande por direct uma foto daquela pessoa especial e a descreva em poucas palavras — que falam pouco e dizem muito. O Lucas já ganhou a surpresa dele. ❤️

Por fim… Se está gostando de receber nossas histórias de amor todo domingo, que tal clicar no botão abaixo e compartilhar com uma pessoa especial? ❤️

clique para compartilhar

O próximo anunciante pode ser você. É só clicar aqui.

A próxima pode ser a sua 💌

FINAL NOTES

Gostou da história que leu? A próxima pode ser a sua. Conte pra gente aquela história de amor que só você sabe e tem dentro de si. Afinal, todo mundo tem a sua.

Envie para: love@thenewscc.com.br

Queremos compartilhar, pelo menos um pouquinho, desse sentimento que você tem aí dentro. Você nunca sabe o que ele pode provocar nas pessoas…

the stories.cc  🧸

Nem sempre com finais felizes, mas sempre verdadeiras. Histórias de quem realmente sentiu algo sincero diretamente entregues na sua caixa de entrada.

A cada história uma emoção. Sempre aos domingos de manhã, às 08:08.